notícias

Fonte UOL

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018 08:00

Andrés forma nova gestão; Rosenberg será homem forte

As primeiras horas de Andrés Sanchez novamente como presidente do Corinthians já indicaram o que deve ser uma tendência da nova administração do clube. Nomeado como diretor de marketing, Luís Paulo Rosenberg terá o papel de principal braço direito do mandatário e já participa das primeiras escolhas na montagem de uma diretoria ao fim da gestão Roberto de Andrade. 

Na última segunda (4), enquanto Andrés viajou ao Rio de Janeiro para reunião do Conselho Técnico do Brasileirão na CBF, Rosenberg trabalhou no Parque São Jorge, reabriu conversas com a Caixa Econômica Federal sobre a Arena e já fez escolhas nos departamentos jurídico, financeiro e, claro, de marketing. Na organização sobre o novo comando do Corinthians, Luís Paulo deve ampliar suas áreas de abrangência para essas esferas. 

O que se pode chamar de "grupo puro sangue" de Andrés tem, no departamento financeiro, a recontratação de Marcos Chiarastelli, ex-gerente financeiro durante duas gestões e que atuou em 2017, depois de ser demitido pelo ex-diretor Emerson Piovesan, como CEO do Vitória. A se oficializar, ele deverá atuar em nova denominação, como superintendente, ao lado de Wesley Melo, que integra o grupo político da situação e assume a posição de diretor financeiro. 

No departamento jurídico, há uma nova escolha definida em sintonia entre Andrés e Rosenberg. Membro do grupo político ligado ao candidato à presidência Felipe Ezabella, Luís Alberto Bussab foi substituído pelo advogado Fábio Trubilhano. Já no marketing, quem terá papel ativo é Caio Campos, gerente nas gestões passadas de Sanchez e também de Gobbi. 

Já anunciado como novo diretor de futebol, Duílio Monteiro Alves é outro membro antigo do grupo Renovação & Transparência que integra a nova administração. Nesse departamento, porém, Andrés Sanchez deve atuar muito mais próximo em canal direto com Duílio. A dupla ainda não definiu a possível nomeação de um diretor adjunto. 

Grupo de Andrés fala em conversar com 'chapinhas' para governar 

No novo formato da política do Corinthians, com oito 'chapinhas' eleitas com correntes diferentes para a formação do Conselho Deliberativo, Andrés adotou como prioridade para os próximos dias se sentar com lideranças para buscar tranquilidade. Internamente, o discurso do novo presidente é de promover mudanças bruscas em relação a Roberto de Andrade e definiu um prazo de 100 dias como meta para o que entende ser uma transformação. 

Na parte política, dois membros próximos ao presidente devem atuar de forma mais intensa. É o caso do ex-diretor de futebol adjunto, Eduardo Ferreira, e possivelmente de André Luiz Oliveira, mais conhecido como André Negão e vice da gestão Roberto. Especula-se que ele possa ser o novo secretário-geral, figura próxima do presidente com atribuições políticas.  

Em relação aos candidatos derrotados por Andrés no último sábado, inicialmente não devem haver grandes composições. Enquanto Roque Citadini e Romeu Tuma Júnior são considerados os oposicionistas mais distantes do novo presidente, o grupo de Felipe Ezabella traçou um acordo interno. Nesse sentido, nenhum membro deve deixar o Corinthians Grande, que é dissidência e possui boa relação com o grupo de Sanchez, para aceitar cargos na atual gestão. 



  • Compartilhe:
  • Link direto:

próximo JOGO!


vídeos!